quinta-feira, 30 de agosto de 2012


Daqui pra frente











Que as lágrimas não nos impeçam de nos lembrar que uma pessoa que chega na nossa vida é um presente que nos foi ofertado.
Há presentes assim valiosos que não duram muito, quando nossos corações
desejariam que durassem eternamente e ignoramos por que eles se vão
quando a vida parece apenas começar.
Mas se nos perdemos nesse mundo de questões sem respostas, a dor será muito maior que as lembranças
de tudo o que a vida nos permitiu juntos enquanto durou a caminhada na terra.
Se tivéssemos que voltar atrás, teríamos preferido não ter encontrado,
não ter conhecido, somente por que não pudemos guardá-lo no nosso seio
mais tempo?
Não...
O vento passa, mas nos refresca; a
chuva vem e vai, mas sacia a terra. O importante mesmo não é a
quantidade de tempo que as coisas ou pessoas duram, mas a riqueza que
elas trazem à nossa alma, o amor que nos permitimos dar e o que
aceitamos receber.
As dores das partidas definifivas são
indizíveis, indefiníveis, mas que elas nunca nos impeçam de nos lembrar
da vida compartilhada.
Que as lágrimas não nos impeçam de
sorrir novamente um dia quando a dor for mais amena e as lembranças
felizes começarem a voltar, como as flores no jardim a cada primavera.
A eternidade existe para que esperemos por ela, para que tenhamos o
consolo de saber que um dia, se o Deus-Pai permitir, Ele que nos ama de
amor infinito, poderemos novamente nos encontrar.
1

1 comentários:

Kathia Porto disse...

Linda mensagem !!!
Beijos e fique em paz.

Postar um comentário